Grey, Button e todos nós

Grey

Acabo de ler um relato de um amigo que passou uns dias em Salvador. Uma boa leitura que tanto pode ser um conto como uma crônica (te decide, mate!). Bem, o caráter de crônica aparece no fim e está por conta da reflexão sobre manter-se jovem. E é por aí que começo.

Aí está um antigo e recorrente desejo do homem: o da eterna  juventude.  A literatura nos mostra que a subversão da ordem natural da vida nem sempre tem um final feliz.

Assim foi com Benjamin Button e Dorian Grey, apenas para citar dois.

O primeiro tornou-se popular recentemente pela versão homônima para cinema do conto de Francis Scott Fitzgerald – O Curioso Caso de Benjamin Button -, que por sua vez  foi inspirado na famosa frase de Mark Twain: “A vida seria infinitamente mais feliz se pudéssemos nascer aos 80 anos e gradualmente chegar aos 18”.

O Retrato de Dorian Grey, por sua vez, nos leva a reflexões muito mais profundas. Dorian, jovem que a todos encanta com sua beleza sedutora, tem sua imagem retratada por um pintor de pouca expressão mas relativo talento. Inspirado pela beleza de seu modelo, Basil produz sua obra prima: um lindo retrato que impressiona o próprio Dorian. Neste momento o jovem aristocrata inglês amaldiçoa a obra: “Ela permanecerá sempre bela, exatamente como hoje, enquanto eu envelhecerei… Que bom se fosse ao contrário…” Dorian tem seu desejo atendido e observa a imagem envelhecer enquanto ele permanece com o frescor de seus vinte e poucos anos.

A partir daí – e da influência de Lord Henry, um esteta cheio de teorias sobre a vida – o personagem criado por Oscar Wilde torna-se escravo da sua própria beleza e, por conta de extrema vaidade, passa acreditar-se superior aos demais mortais. A quem passa a tratar com desprezo fazendo sofrer todos os que cruzam se caminho. O jovem passa a não ter mais limites e, mais do que rugas, passa a ver seu retrato adquirindo as feições de um monstro com um novo horrendo traço a cada ato cruel de sua parte.

Isso nos leva a crer que as nossas atitudes nos marcam, e por consequência nos definem, muito mais do que os efeitos da ação do tempo. Dorian Grey descobriu isso da maneira mais dura que poderia ser.

Créditos: Imagem extraída de studioartist.ning.com.

Anúncios

6 Respostas to “Grey, Button e todos nós”

  1. rodrighegg Says:

    My text is a “cronical short story” – um conto crônico! heheheh: )
    Cronos é o tempo na mitologia grega. Ele matava os proprios filhos assim que eles nasciam, para evitar que eles lhe arrebatassem o poder. Zeus evitou de virar alimento do Cronos, e tornou-se o Deus dos deuses.
    Zeus seduziu várias jovens, e vários jovens também….sempre a eterna juventude!

    Thanx for mentioning my text – ótima crônica que tu escreveu – ou seria um conto?

    abraço

    R

    PS* Dos personagens que permanecem jovens por mais tempo que é devido à juventude, Dracula é meu favorito.

  2. lmcolucci Says:

    É… Uma coisa puxa a outra. De repente aparece drácula e o mito de Cronos – do qual gosto bastante. Isso prova que em todos os lugares e todos os tempos as pessoas (e até os deuses) fantasiaram sobre a fórmula da juventude.
    Afora os vários ensaios e clássicos da ficção que nos levam a reflexão sobre o tema eu lembro de uma frase bastante simples de um amigo quando debatíamos o tema:
    – Idade não tem nada a ver – disse ele.
    É verdade! o que vale é a cabeça.
    Um abraço,
    Leo

  3. rodrighegg Says:

    Te mandei outra história. Da um look no teu mail, cara.

    Abraço

    R

  4. Oi pai eu vim aqui no teu blog e achei muito legal. Eu queria adicionar nos meus favoritos . E voce fez o teu blog muito bem feito. E voce vai deixar o teu blog mais legal cada vez que voce botar mais coisas de livros e de voce. Gosta bastante de livros e por isso voce fez o seu blog de livros. Eu queria fazer um blog pra mim.

    Beijos da carol.

  5. Oiie paiiii, passei pra dar uma olhada aqui no teu blog, e achei tri massa. Continua assim, atualizando e colocando fotos de ti mesmo e de livros. Ameii e gostaria de fazer um blog pra mim tbm, porque é tipo um site particular.
    Só passei aqui pra dizer que amei o blog(ja tinha dito isso antes)
    Beijão, da Anna

  6. Minhas pequenas guriazinhas.
    Interessante vocês terem escolhido este post para deixar um comentário. Desde que vocês apareceram na minha vida passei a ter vontade de que tudo fosse pra sempre. Que o tempo não passasse e que ficássemos juntos pela eternidade. Mas no fundo é melhor que seja assim. Tudo no seu tempo. E agora é tempo de ver vocês crescendo e aprendendo coisas novas com os livros.
    Amo vocês minhas queridas Anna Clara e Carolina.
    Um beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: