Lua Caiada em Porto Alegre

Se ser radical é ir na raiz, então vale a pena ser radical. E a raiz do samba se mantém viva e pura graças a pessoas como Nelson Coelho de Castro. Poucas pessoas ainda fazem o samba com tanto respeito e propriedade quanto o autor de clássicos da Música Popular Brasileira (ele próprio não gosta do rótulo de MPG), como Armadilha e Verniz da Madrugada. Mas é toca pra fazer samba que o Nelson emociona e impressiona.

Em seu mais recente album – o maravilhoso “Lua Caiada” – Nelson mostra que o tempo vem fazendo bem pra qualidade da sua música. Dá pra notar o esmero com que cada faixa foi produzida, valorizando a força das composições sempre presente em toda trajetória do cara.

Apela, Menino não sobe a rua, Clemente e Noite vazou encantada merecem ser conhecidas pelo grande público. Como diz um dos belos refrões do disco: “Quando o samba começa, meu nego, não dá pra escapar”.

E pra conhecer melhor estas canções novas e relembras as antigas vamos no Salão de Atos da UFRGS nesta sexta (07/05) às 21:00h. É pérola no veludo!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: